MNAC: Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado

É triste perceber que a teoria que ouvi recentemente por Alvaro Covões, onde considera que os espaços culturais não podem ser geridos por entidades publicas, faz sentido.

alvaro-covoes-4_low.jpg

Visitei o MNAC – que para quem não sabe se localiza numa das zonas de Lisboa mais visitadas a nível de turismo – num feriado e constatei que nada acontecia. Estava vazio, com apenas uma exposição, café/bar fechado, acessos restritos.

Para que serve ter um espaço aberto mas de acessos restritos, onde se paga 4,50€, para se ficar triste com o que é nosso?

A cultura acima de tudo!

Anúncios

Um restaurante/bar na cobertura de um park

Tudo o que precisa para uma manhã tranquila é um bar com vista para Lisboa com um sol a bater é uma música descontraída.

Poderá encontrar esse sítio no park, na calçada do combro, após estacionar o seu carro no… parque! Trata-se de um espaço no terraço do próprio parque que é constituído em toda a verticalidade do edifício por um parque de estacionamento.

Muito agradável!

O que vale o novo iPhone?

Tenho-me debatido diariamente sobre o valor vs qualidade do novo iPhone. Valerá um telemovel tanto dinheiro?

iphones

Em 2013 comprei um iPhone 5 com [bastante] dinheiro de uma herança e, desde ai, assumo que quem já teve um iPhone, não quer outra coisa. Vivi o mês de Agosto na ansiedade da chegada do novo modelo, sempre na ideia que se calhar iria ser o telemóvel que iria comprar logo que saísse.

Saiu no dia 7 de Setembro. Fiquei tão baralhada. É um iPhone, é bonito. Mas não me deu o click. E quando soube do valor dei mais um passo atras na ideia de o comprar.

Com o lançamento da versão 7, caiu o preço do 6. Estava na loja a olhar para todos eles, e de repente, como de tratasse de um cachorrinho solitário, olhei para o 6 plus. Estava ali abandonado, um filho que saiu diferente dos outros, maior. Como aquelas crianças gigantes mas indefesas.

Fiz uma analise entre o iPhone 7 e o iPhone 6S Plus. Analisemos as diferenças:

Para alem do modelo 6 plus ser maior, mais pesado tem uma memória igual (o 7 tem um modelo a mais com 256Gb, mas se o modelo mas baixo já é o preço que é…).

O ecrãn, obviamente, é maior o do 6 plus, indicam que o 7 tem “Ecrã com uma vasta gama de cores (P3)”… confesso que acho um preciosismo para diferenciar do anterior modelo, mas quem sou eu?!

A câmara é identica – 12 MP, câmara frontal com mais 2MP o modelo mais recente que o 6 plus (de 5 para 7 MP), video idem idem aspas aspas.

Processador melhor no novo modelo poderá fazer a diferença. Existe criticas que apontam que o processador A10 incluido no iPhone 7 consegue ser mais rápido que o existente nos modelos do iPad. Mas lá está, importante sim senhor! Mas iremos nós notar?! Heis a questão…

Entrada jack para auscultadores no 6 plus que no novo modelo passa a ser sem fios [poderá para muitos ser algo interessante auscultadores sem fios, para mim nãos será, imagino-me sempre a esquecer do adicional para puder ouvir musica… Enfim, discutível] . Esta nova formato de auscultadores poderá trazer uma menos valia bem válida a todos, o maior gasto de desempenho de bateria. Porque o uso de conexões sem fios exige mais da bateria.

E agora o tema que mais me bate no que diz respeito aos iPhones: BATERIA! –  pelo menos para mim isto é importante, algo que todos se queixam, e eu sou uma delas: as baterias da treta dos iPhones!

Com um desempenho mais favorável no 6 plus. Isto porque? Porque se a bateria é maior… tem mais rendimento! Sensivelmente uma diferença de autonomia em conversação de 14 horas para 24 horas.

Bem, diria que é uma questão de gosto [se bem que são idênticos, um deles um pouco maior]. Eu, pessoalmente, estou mais interessada no 6 plus, com um ecrã bem maior, que levo na mala [guardar no bolso parece que o deforma ahahaha…]

Caso o compre vos contarei as primeiras impressões e um resumo sobre toda esta comparação.

Nesta semana…

de 26 de Setembro a 2 Outubro:

30 Setembro | Jeff Mills no Ministerium Club
Mais info aqui.

1 Outubro | Concerto comemorativo do Dia Mundial da Musica
“às 16.00h, o Conservatório de Música de Sintra assinala o Dia Mundial da Música com um concerto de alunos e professores, também marcado pela entrega de diplomas aos alunos que terminaram os seus ciclos de estudo de música em 2015/2016.

Neste espectáculo, com entrada livre, destaca-se a interpretação do “Concerto em Fá m BWV 1056 para Piano e Orquestra de Cordas”, de J. S. Bach, pela Orquestra de Câmara do Conservatório de Sintra, com o pianista e ex-aluno da escola, João Pedro Guimas, sob a direcção do maestro Humberto Castanheira.”
Veja o evento no facebook aqui.